Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

História da Tintura de cabelo



Coloração do cabelo é a prática de mudar a cor do cabelo. Motivos mais comuns são para cobrir cabelos brancos, para mudar para uma cor considerada mais na moda ou desejável, e para restaurar a cor do cabelo original depois de ter sido descoloradas por processos de cabeleireiro ou pelo sol.

Você já foi curioso como cabeleireiro, beleza e coloração de cabelo?  Que, jamais teria chegado com a idéia de mudar o estilo de cabelo, muito menos a cor do cabelo?  Bem estudos revelam que cortes de cabelo e penteados eram praticados de uma forma tão cedo quanto a idade glacial. Eles usaram implementa simples, mas eficaz, como pedras afiadas, conchas de ostras, ou osso.  Osso do tendão  de animais e próprio  couro eram usadas para amarrar o cabelo para trás, ou como um adorno.  O seu provavelmente pensando a mesma coisa que eu fiz. Hoje em dia consideramos este passado de adornos de cabelo um nojo, pois temos o que imaginamos e queremos para enfeitarmos. Mas isso é tudo o que tinham de usar naqueles dias há muito tempo.

 Os egípcios foram os primeiros a cultivar a beleza de uma forma extravagante, e tornou-se bem versados ​​na arte da maquiagem e cabeleireiro. Os antigos egípcios também foram os primeiros a usar cosméticos, como parte de seus hábitos de embelezamento pessoal, e em cerimônias religiosas na preparação do falecido para o sepultamento. Registros antigos mostram que a matéria corante foi feita a partir de bagas, a casca de árvores, minerais, insetos, frutos secos, ervas, folhas e outros materiais que foram usados ​​sobre a pele, cabelo e unhas. Apesar de pintar os olhos foi o mais popular de todos os cosméticos, henna (um corante extraído das folhas de um arbusto ornamental) foi usado para dar um tom avermelhado ao cabelo que ainda é usado até hoje.  O primeiro uso registrado de henna como um agente de coloração foi em 1500 aC As escavações de tumbas egípcias também revelaram pentes, escovas, espelhos e lâminas de cobre temperado e bronze. Cabeleireiro era uma arte para os egípcios que gostava de usar elaborados penteados e cosméticos, bem como perucas.  Mulheres egípcias, e as mulheres romanas eram conhecidos por aplicar uma mistura de solo e água para os seus cabelos. Eles, então, envolto em seus cabelos de rolos de madeira para assar ao sol, criando uma onda temporária.  A primeira evidência de unhas registrado na história foi antes de 3.000 aC no Egito e na China.
Antigos egípcios e mulheres de posição social elevada manchado as suas unhas de vermelho-alaranjado henna. A cor da unha de uma pessoa era um sinal de classificação. Reis e rainhas usavam vermelho escuro, enquanto as pessoas de menor sociedade usava apenas cores pálidas.  Beleza e cuidados pessoais assumiu grande significado simbólico em muitas culturas. 

 Comandantes militares no Egito, Babilônia e Roma antiga gastaria muitas horas antes de uma batalha, tendo seus cabelos enrolados, e suas unhas pintadas no mesmo tom que seus lábios.  Estranho, mas interessante.

 Durante a Idade de ouro da Grécia (500B.C), tornou-se um penteado arte altamente desenvolvida.  Serviços de cabeleireiro foram introduzidas em Roma por volta de 300 aC Mulheres utilizavam tinturas coloridas para indicar a sua classe na sociedade.  Nobres tingiam o cabelo de vermelho, mulheres de classe média de cor os cabelos de louro, e as mulheres pobres de cor preto.  Penteado e barbearia continuavam a crescer em importância, e, eventualmente, foram conhecidos e identificados como o "mundo da medicina". 

 Durante os tempos medievais, cosmetologia e medicina foram ensinados como sujeitos combinados em Inglês universidades. Quando o Papa Alexandre III proibiu o clero para derramar sangue, barbeiros foram convocados para ajudar os monges e sacerdotes durante a cirurgia. Eles regularmente realizadas sangrias e pequenas cirurgias, administravam ervas, e mais tarde tirou os dentes.  De fato, durante séculos, a odontologia foi realizada apenas por barbeiros para mais de mil anos, eles eram conhecidos como cirurgiões-barbeiros.  Nossa!! Como as coisas mudaram drasticamente!!!

Agora vamos em frente aos tempos da Renascença, onde a ênfase foi colocada na aparência física. O cabelo foi feito com cuidado e com ornamentos, e mantilhas eram usadas.  Por esta altura, em 1450, uma lei foi promulgada que separava as práticas de barbearia e cirurgia. Eles não podiam mais realizar a cirurgia, e os cirurgiões eram proibidos de atuar como barbeiros. 

 Agora, o século 19 uma era de investigação e inovação, que viu muitas mudanças no domínio dos cuidados de cabelo. Em 1875, um francês chamado Marcel Grateau desenvolveu a técnica do uso de ferros para ondulação e cachos no cabelo.  É A CHAPINHA, MINHA GENTE!!! HEHE...

 Em 1890, a primeira academia de cabeleireiro foi inaugurado em Chicago por Brisbois e Federmeyer. E, finalmente, no século 20, os estilos de cabelo começaram a acompanhar as tendências, e logo tornou-se disponível a todas as classes de pessoas que poderiam escolher os seus estilos com base em suas necessidades e desejos.

Agora, você já sabe a origem da tintura e até mesmo dos penteados... Pode sair por aí "se achando" porque está "por dentro" desta história do mundo da beleza!!!  E tenho certeza que vamos estar nos livros de história algum dia sobre todos os novos estilos de moda que realizamos hoje, em muitos salões e spas em todo o mundo.
É o máximo poder compartilhar estas histórias interessantíssimas dos tempos de nossos antepassados... Agora, fico só imaginando meus bisavós e até mesmo avós usando estas coisaradas que eles inventavam.

Minha avó (Thereza) me contou uns anos atrás que para elas irem aos bailes do interior na juventude, é claro, elas esticavam os cabelos longos sobre uma mesa ou cama e passavam o ferro de passar roupa sobre eles!! E pronto: estava feito a chapinha. Hehehe... (agora, pense bem: naquele tempo, os ferros de passar eram à brasa e não elétricos como hoje!! "Viiichii...pobre do cabelo!).

Para enrolar os cabelos elas ficavam hooooras a fio com rolos na cabeça!! Sem falar que naquele tempo a moda era aqueles produtos a base de amoníaco, (particularmente eu chamo de xixi de rato, porque o cheiro é forte que falta até ar nos pulmões da gente). Assim ficavam, à moda "DONA FLORINDA" até dar certo...

Há... o mais engraçado foi quando minha avó falou sobre a esponja de aço (o famoso BOMBRIL de louça). Pois é, gurias! Ela diz que colocavam essa palha de aço para fazer coques no cabelo e ficar charmoso e volumoso. Por dentro eu ria, porque ficava imaginando em minha cabecinha aqui, como seria uma noiva se "desmontando" no dia das núpcias para o noivo!!! O que eles pensavam quando viam uma mulher tirar uma palha de aço do cabelo. Será que elas já iriam lavar a louca? Será que iria assistir televisão e colocar aquilo para melhorar o sinal da antena???  Seria uma arma como nos filmes das gueixas??? (hahaha)....Seria uma Amy winehouse se revelando??? (dizem que ela usava palha de aço nos cabelos. Será?? Hehe).

Minha imaginação é fértil demaaaiisssss..... hehe..... E vocês, tem uma história como estas para contar?

Abração, e obrigada pela visita, por se tornarem seguidoras (seguidores) e ótima semana a todos!!

Cianaí Cato





LEIA OS COMENTÁRIOS